Sobre acessibilidade

Áreas

Abas primárias

29/03/2019 - 10:15

 

▶Nesta quarta-feira (27), o presidente da
CEASA/PA, Francisco Chapadinha, acompanhado com sua equipe de diretores:
Antônio Rocha, Eduardo Sampaio e Valdo Gaspar, e demais profissionais da CEASA,
como assistente social, engenheiro, advogado e nutricionista, visitaram a
comunidade ribeirinha "Porto da Ceasa" a fim de conhecer de perto a
realidade das 42 famílias que vivem há anos na comunidade.
Para ter acesso à área é necessário passar
pela feira da Ceasa, através da estrada do Murutucu, e seguir até a beira do
rio Guamá.
O arriscado acesso através de pontes de
madeiras em condições precárias para se chegar às humildes casas, com sérios riscos de acidentes, é uma das principais reclamações dos ribeirinhos. Eles se sentem isolados e invisíveis aos olhos do poder público. 
Mesmo ciente que as demandas não competem à Ceasa, o presidente Chapadinha fez questão de ouvir as famílias. "Precisamos ter um olhar mais humano e
entender que se trata de uma questão de responsabilidade social", destacou
o presidente, se comprometendo a levar, através das Centrais de Abastecimento,
as reclamações e clamor dos ribeirinhos aos órgãos competentes.

Taty Lameira - Ascom Ceasa/PA